27 de nov de 2010

Nerd Pobre

Olá eventuais leitores que muito provavelmente não prestarão atenção ao que eu escrevo, hoje trago noticias irrelevantes sobre minha pobre vida, acabei de comprar pelo Submarino a camera digital de mais de 12Mp com zoom de 4x mais barata que eles tinham, só R$:299,00, a camera em sí não é la grande coisa, mas é o que eu posso comprar e estou muito feliz :).

E para comemorar vou postar algumas das primeiras fotos que fiz com ela.

O Meu PC.







E por ultimo minha a primeira foto da minha cadela Pitty em que ela não parece ser apenas um borrão preto.




hauhauhauhauahuahuha, Ja ta velhinha coitada...

Bem por hoje é só, prometo que em um futuro provavel postarei algo mais útil.

EDIT: hoje de manhã eu fui na feira da barganha aqui de Caçapava, e comprei um addon CHIQUÉRRIMO pro meu PC.


Nerdice+pobreza=Gambiarras

P.S.: O meu som esta uma maravilha!!!

26 de nov de 2010

Sobre funk, estranheza social, e desejo sexual.

Em paralelo a bandinhas Emo-alegres que falaram de amor eterno e incesto metafórico, e Emo-góticas que falam sobre suicidio solidão e revolta, hoje eu vou falar de algo que aborda um ponto diferente das "angustias adolescentes", o Funk.

Um aviso importante:
ESTE É UM ARTIGO PARA SER LIDO POR AQUELES QUE NÃO SE OFENDEM FACILMENTE, ESTA É UMA ANALISE SOCIO-ECONÔMICA E PSICOLÓGICA MUITO VIOLENTA!
e vulgar.


E entendam eu falo do Funk não do Phunk, eu falo dos ritmos repetitivos e pornográficos que são venerados por centenas de adolescentezinhas com mera vontade reprimida de sexo, então hoje eu irei explicar a minha teoria antropológica sobre o porque do sucesso do Funk.

Bem de inicio, vamos a historia: O funk carioca, originalmente baseado no Phunk estadounidense, se desenvolveu do modo que conhecemos hoje a partir de varias influencias estrangeiras como o Miami Bass(que embala as orgias de Mardi Grass), e Rap.

estando isso explicado vamos aos grupos que costumam ouvir Funk:

Garotas de comunidades carentes(E), as que já estão imersas na cultura funk, usualmente não tem muito contato com conceitos religiosos que costumam reprimir a pungente sexualidade inerente ao estilo, e não tem muitas opções de entretenimento alem de socialização com outros adolescentes.

Garotas de classe baixa(D), estas independentemente de ligações religiosas costumam entrar em contato com o Funk a partir de amigos da classe acima, estas são usualmente jovens de (10 a 15 anos que a partir de brincadeiras pseudo-sexuais infantis com colegas amigos e outros componentes sociais começam a se interessar pelo Funk pelas suas raízes nas classes mais baixas e pelas já crescentes tensões sexuais e sociais pré-pubereas, assim lentamente se envolvendo mais e mais, elas logo se tornam objetos nativos da cultura Funk.

Garotas de classe média baixa(C), usualmente são jovens de famílias extensivamente ligadas a religião, as quais tem sua sexualidade reprimida pelos pais, e cuja convivência social se limita a colegas de escola, estas costumam se interessar pelo Funk dos 12 aos 16 anos, no começo da puberdade, quando elas começam a atrair a atenção de indivíduos do sexo oposto, e começam a sentir uma necessidade instintiva de ser admirada e tocada por estes mesmos, assim por meio da dança do Funk sentindo um prazer social extremo.

Garotas de classe media alta(B), estas costumam ser jovens educadas, frequentadoras de instituições de ensino de renome, e desde cedo acostumadas a terem varias atividades extra-curriculares-escolares, comummente se interessam pelo Funk dos 17 aos 21 anos, como forma de expressar suas, extremamente reprimidas, vontades sexuais, ou rebeliosidades adolescentes, estas são as quais costumam fugir para bailes Funks em comunidades carentes, e entrar em contato social com possíveis criminosos frequentadores destes mesmos, e então voltar para suas casas logo após seus pais acordarem, entorpecidas pelo álcool e outras substancias mais.

Afinal o Funk se caracteriza por ser uma musica essencialmente de classe baixa, pornográfica, e jovem, sendo assim uma função social que tem como variável as tensões religiosas e parenteais, que influenciam a psique das adolescentes, e que serve como catalisador para o inicio das vidas sexuais de varias jovens brasileiras.

Resumindo, se você quiser traçar adolescentes com mais boceta do que cérebro, aprenda a cantar e dançar funk.

E para terminar este post vai aí alguns exemplos de como o Funk se caracteriza.







Créditos ao Duquian do Sedentario pelo video.

18 de nov de 2010

Poker Face

Hoje eu parei para prestar atenção a Lady Gaga, é claro que ela faz muito sucesso já há um bom tempo, porem eu por aversão ao que faz sucesso imediato resolvi não me envolver até agora.

Mas vendo um clipe dela hoje eu prestei atenção a uma analise social e psicológica da sociedade que me surpreendeu:

A letra é cheia de duplos sentidos e girais em inglês (que por sorte eu entendo bastante), eu vou analisar e traduzir o que eu compreendi da letra:



"I wanna hold em' like they do in Texas plays
Fold em' let em' hit me raise it baby stay with me (I love it!)
Lovegame intuition play the cards with spades to start
And after he's been hooked I'll play the one that's on his heart"

bem logo aqui ela diz:
"Eu quero segura-los como se faz no Texas"
O que é um paralelo com um modo de jogo no poker onde a posição do jogador é que define sua estratégia.

"Eu quero dobra-los(dobrar suas apostas) e e deixa-los baixar em mim(as cartas) aumente a aposta 'baby' fique comigo"
Aqui ela usa dois termos de duplo sentido onde "fold" significaria dar bola pra eles, e "hit" pode significar "dar em cima".

"No jogo do Amor a intuição começa jogando as cartas de espadas."
Basicamente, quando você começa a flertar você tem que ser agressiva,

"E depois que ele estiver fisgado eu jogarei aquela que esta no coração(copas) dele"
E depois que você chamar atenção é só fazer ele se apaixonar.


I wanna roll with him a hard pair we will be
A little gambling, a little, is fun when you're with me (I love it!)
Russian roulette is not the same without a gun
And baby when it's love if it's not rough it isn't fun (fun!)

"Eu quero rolar com ele e um par nos seremos"

Aqui ela usa o termo "roll" que é usado para "virar"(as cartas) e "dar um role" ou seja ficar com ele, e o termo par usado para combinação de cartas no poker.


"Um pouco de jogo(de azar), um pouco, é divertido quando você esta comigo(eu amo isso)

Roleta Russa não é a mesma coisa sem uma pistola

E 'baby' Quando é amor se não for rude não é divertido"

Aqui ela usa o termo rough que é literalmente 'bruto de modo masculino', se referindo a violência e perigo subliminares ao jogo do amor e o ato sexual.


Oh, oh, oh, oh, ohhhh, ohh-oh-e-ohh-oh-oh
I'll get him hot, show him what I've got
Oh, oh, oh, oh, ohhhh, ohh-oh-e-ohh-oh-oh
I'll get him hot, show him what I've got

"Eu vou deixa-lo ansioso e mostrar o que eu tenho"

Manipular a ansiedade do seu adversário é uma tática valiosa no "poker", assim como na sedução, e ela usa o termo "hot", que pode ser interpretado como excitado ou ansioso entre outros.


"I won't tell you that I love you
Kiss or hug you
'Cause I'm bluffin' with my muffin
I'm not lying I'm just stunnin' with my love-glue-gunning"

"Eu não direi que te amo

Beija-lo ou abraça-lo

Por que eu estou blefando com o meu muffin(gíria pra vagina)

Eu não estou mentindo, só estou te atordoando com o atirar da minha cola do amor"

Bem aqui ela basicamente diz que não o ama, não o quer, ela só esta blefando com sua vagina, e brincando com ele pelo prazer de vencer o jogo.

Just like a chick in the casino
Take your bank before I pay you out
I promise this, promise this
Check this hand cause I'm marvelous

"Assim como uma menina num cassino

Pegue a sua banca antes que eu tire seu dinheiro

Isso eu prometo, eu prometo

Olhe essa mão, pois ela está maravilhosa!"

E pra finalizar o ego do infeliz que a desafiou ela diz que a qualquer momento ela pode acabar com esse jogo por isso, ele deve evitar conflito.

Can't read my,
Can't read my,
No he can't read my poker face
(She has got me like nobody)

Essa parte no clipe (de cerca de 2:42 a 2:58)é interessante pois mostra Germanotta e seu "adversário no jogo e no amor" angustiado por estar perdendo e então cedendo a o "poder" dela.


Bem para concluir minha analise, pelo que eu compreendí do clipe e da letra, Stephanie canta uma lição para mulheres sobre como se aproveitarem de seus "dotes femininos" para conquistar e torturar homens, pelo mero prazer do jogo, e se manter dominante em uma relação, usando uma semi-metafora com o jogo de poker.







Bem, espero que tenham gostado e compreendido a analise, pois esta me levou exatamente uma hora pra fazer.