30 de out de 2010

God of War: Ghost of Sparta Review

Acabei de fechar pela segunda vez Ghost of Sparta, o mais novo GoW, e o segundo lançado para a plataforma portatil da Sony. Aqui farei um resumo, uma analise, e no final darei minha opinião.


Resumo:
ALERTA: PODEM HAVER SPOILERS DE BAIXA PERICULOSIDADE

GoS se passa logo após o GoW original, e conta a historia de Kratos se tornando de fato um deus.
Perturbado por visões do passado, que os deuses olimpianos prometeram-lhe remover, Kratos resolve investigar o paradeiro de seu irmão sequestrado Deimos, embarcando em direção a Atlantida (sim, essa mesma) para investigar o templo de Posseidon onde ele encontra com a alma penante de sua mãe, que o diz que seu irmão pode talvez (quem sabe?) estar vivo em algum lugar do reino de Tânato o deus da morte (Hades é rei do mundo dos mortos, mas não deus da morte), fazendo assim, Kratos embarcar numa longa busca por vestigios do real destino de seu irmão.


Analise:
GamePlay:
De acordo com outros reviews o game play foi alterado para se adequar as mudanças feitas em GoW3, como não joguei só posso compara-lo com os todos os outros.
A jogabilidade sendo um dos pontos mais fortes dos jogos da franquia deixou pouco a reclamar, apesar de que em muitos pontos dos minigames (pelo menos nas dificuldades Hero e Spartan) parecem faltar comandos, tendo o curto momento de slow motion mas nenhum botão requisitado, o unico problema real é a falta de controle que se tem sobre o personagem ao se usar o poder especial Eye of Atlantis.

Gráficos:

Sendo estes provavelmente os detalhes mais gloriosos de GoS e GoW em geral, os graficos surpreendem, um excelente uso de shaders, texturas muito bem desenhadas e detalhadas(texturas ruins são um dos maiores problemas das conversões de jogos para PSP) caracterisando um genuino jogo desenvolvido para a plataforma, os desenvolvedores da sony mostrando do que seu hardware é capaz(assim como os da Square fizeram com o PS1[FFIX] e o PS2[FFXII]).

Dificuldade:
Um dos poucos problemas que eu encontrei no jogo é que (pelo menos na dificuldade Hero) muitas vezes as batalhas são decepcionantemente faceis, e outras assustadoramente dificeis, mas nada que um pouco de insistencia e paciencia não resolvam.

Camera:
A camera de GoW realmente foi revolucionaria, mas em GoS serve mais para dificultar a obtenção de itens, que mostrar graficos lindos como de costume.

Opinião:

A sensação que eu tive ao jogar GoS é que foi um jogo muito bem desenvolvido, porem terminado ás pressas para cumprir prazos, parecendo se ter deixado muitas coisas para trás, e muitos detalhes á adicionar, eu tive sensação de jogar o melhor BETA ja feito na historia dos videogames, aquele jogo que quando apresentaram a primeira versão para os Testers eles ja disseram: "FUKKEN ÓUESOMI!!!!"

Puxação de saco Sonysta:

Kratos como sempre FODÃO!(Arreganhando as vadias! 8-D)
Batalhas e minigames como sempre ÉPICOS!
Monstros e inimigos Ultra-Mega Advanced Overkill Fodasticos!
Paísagens In-Game gêniais!

E pra final um trailerzinho aleatorio!


Ah e um Extra WIN pro jogo pelo fato de que se você transar o suficiente no Bordéu você ganha o golpe: "Might of Sparta" que é basicamente o THIS IS SPARTA! DEATH KICK!
ultra fodastico!

Nenhum comentário:

Postar um comentário